dentro

Começa o outubro Rosa

Foto: Ary Barbosa

Todos os anos o mês de Outubro se colore no tom rosa alusivo à campanha “Outubro Rosa” com o objetivo de alertar para um tema de grande relevância a saúde da mulher; a detecção precoce do câncer de mama, pois quando diagnosticado precocemente, as chances de cura alcançam o índice de 95%.

O principal foco este ano da campanha “Outubro Rosa” é a conscientização das mulheres para que retornem a realizar os exames rotineiros. Estudo nacional aponta uma queda de até 75% das mamografias preventivas, o que pode significar diagnósticos tardios.

Mas o que fazer para se atingir essa conscientização em um ano atípico, em plena pandemia mundial, quando todas as atenções estão voltadas a outro problema gravíssimo de saúde, um vírus que ameaça a todos, sem distinção de gênero?

Sem sombra de dúvidas esse será o grande desafio para os especialistas em saúde da mulher em todo o mundo. E em Lages não está sendo diferente. Pois devido a suspensão das tradicionais programações coletivas no Centro de Estudos e Assistência à Saúde da Mulher – Ceasm, nesse ano devido a pandemia da Covid 19, acontecerá somente os atendimentos às pacientes que são encaminhadas através das Unidades de Saúde, não ocorrendo o Dia D, evitando desta maneira aglomerações.

Nos próximos seis meses vai ser lançada a campanha Movimento Rosa, através da Sociedade Catarinense de Mastologista em parceria com o Ceasm e outras entidades, com orientações às pacientes para que retornem com seus exames de rotina e com os cuidados preventivos, além de exames gratuitos e consultas médicas com mastologistas filantrópicos em todo Estado.

Diagnóstico precoce

O câncer de mama é responsável por um terço dos cânceres nas mulheres e para o ano de 2021 são esperados aproximadamente 70 mil casos novos. “Apesar de ser o mais comum, é também um dos mais fáceis para tratar, e quanto mais são incentivados os cuidados e consultas médicas, mais cânceres de mama serão detectados precocemente”, salienta Fernando.

Toda menina, a partir da primeira menstruação, deve ter suas mamas examinadas por um médico. A mamografia, se não houver fatores de risco que podem antecipar esta fase, deve ser realizada a partir dos 40 anos, todos os anos até o fim da vida. Não existe demanda reprimida para mamografias no Ceasm, sendo que as pacientes conseguem realizar seus exames em curto prazo, refletindo em um diagnóstico rápido e eficiente.

O autoexame não pode ser um método que substitui a consulta médica, precisando de orientações de um médico especialista. “Ele deve ser um método complementar. Muitas mulheres fazem o autoexame em casa, sem saber como fazer da melhor maneira, e acabam negligenciando alguma alteração por falta de discernimento. Mulheres que mantém em dia seus exames clínicos, podem até deixar de fazer o autoexame”, explica.

Já os exames de papanicolau para o diagnóstico de câncer de colo de útero devem ser feitos todos os anos a partir da primeira experiência sexual. A vacina contra o HPV também deve ser realizada nas meninas, conforme orientações da Unidade de Saúde. “Diferente do câncer de mama, o câncer do colo do útero pode ser diagnosticado ainda na fase pré-câncer, mas infelizmente no Brasil esta é uma realizada que precisa ser mudada, embora percebessem uma diminuição dos diagnósticos, o que reflete uma melhor assistência na saúde básica”, afirma o mastologista.

Fonte: Aline Tives/Assessoria de Comunicação Prefeitura de Lages

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tentativa de visita sem convite a ex-amada termina em BO em São Joaquim

Malaco rouba vários celulares da loja Schumann de Correia Pinto