dentro

Dentista é investigado por estelionato contra o município em Otacílio Costa

O caso

Dr. Ricardo de Oliveira, dentista, é investigado pelo Ministério Público de Otacílio Costa de estelionato contra o município e improbidade administrativa, desde fevereiro de 2019.

Segundo informações contidas no Portal Correio Otaciliense, a Promotoria da Comarca de Otacílio Costa, recebeu em fevereiro deste ano, a denúncia anônima de que o dentista Ricardo de Oliveira estava batendo o ponto eletrônico na Unidade Básica de Saúde Sebastião Soares de Córdova, conhecida por Fátima 2, no bairro Fátima, em que trabalhava e depois indo realizar atendimentos em seu consultório particular.

Conforme o promotor responsável pela investigação, Dr.Guilherme Simas, foram feitas filmagens e o acompanhamento do dentista por quatro dias distintos. O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado –  Gaeco filmou o suspeito chegando na UBS e logo em seguida, saindo para o seu consultório particular. Lá, ele atendia durante  toda manhã, sendo que o horário de trabalho na UBS é das 8h às 12h. “Ele deveria estar na Unidade de Saúde, mas estava em seu consultório particular”, afirmou o promotor.

A ação do GAECO na quarta-feira (03), apreendeu, agendas do consultório particular do dentista para verificar os horários de atendimentos e comparar com os horários do ponto eletrônico da prefeitura. “Apreendemos também os documentos de ponto eletrônico que ele batia na prefeitura. Agora vamos cruzar as informações para ver por quanto tempo ele atendia clientes particulares no horário em que deveria estar na Unidade de Saúde”, explicou.

Fora o material apreendido foram feitas oitivas de testemunhas da Unidade Básica de Saúde –  UBS que confirmaram que o investigado batia o ponto e ficava pouco tempo na unidade de saúde.

Segundo a promotoria a investigação segue linha de estelionato contra o município e improbidade administrativa.

“Em vinte anos de profissão no município nunca extorqui ninguém”, ressalta o investigado.

 

Defesa

Documento da nomeação do Dentista Ricardo de Oliveira a Coordenador da Saúde Bucal da Prefeitura de Otacílio Costa

Em entrevista, a nossa reportagem, Ricardo de Oliveira considera as acusações feitas a sua pessoa como um grande equívoco, sendo que na realidade a sua real função no município é de coordenador de saúde bucal, o que não consta carga horária definida. “Sou coordenador em saúde bucal, onde existe uma portaria do município homologando a minha função, mas atendo também na unidade de saúde do Fátima 2 , mas somente a nível de colaboração, pois minha função não seria atendimento clínico em unidade de saúde e sim coordenar a equipe de saúde bucal. Mais no entendimento do Ministério Público é de que eu não estou cumprindo a carga horária da função clínica, que seria de 20 h semanais, mas como já frisei não essa minha função estou apenas quebrando um galho pela falta de contratação de um profissional.” Destacou Ricardo.

Ricardo destaca ainda que sua função de coordenador exige que ele tenha envolvimento o dia todo com o município, pois faz parte da sua função de coordenador fazer licitações de compras de materiais, a entrega de materiais aos profissionais, elaboração de projetos de saúde bucal, atividades em escolas”, declara Ricardo.

“Minha função na coordenação como consta na portaria não tem carga horária específica, então no meu entendimento não cometi nenhum crime muito menos estelionato muito menos improbidade administrativa, muito menos enriquecimento ilícito com um salário de R$ 2 mil reais pela função de coordenador e apenas colaboro com o município, atendendo na UBS, pela simples falta de profissionais.” Finalizou Ricardo.

 

Retalhação Política

Segundo o investigado, isso tudo não passa de retaliação política, pois a denúncia apesar de anônima, sabe-se que foi feita por um política da cidade. Ainda no dia de ontem, um vereador da oposição e ex-prefeito, instigava pessoas em um grupo de um portal de notícias a falarem do assunto, descrevendo como uma vergonha para o município. Sendo que por enquanto o caso não passa apenas de uma denúncia, pois não há condenação do fato ainda.

Foto: Correio Otaciliense

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com a articulação de Carmen, plenário da Câmara aprova projetos que beneficiam autistas

Mãe e Filha são atropeladas em cima da faixa de pedestres