dentro

Umbanda dá mais um passo importante para o seu reconhecimento em Lages

1ª Carreata de Ogum em abril de 2013 - Foto: Márcio Proença

Enquanto em alguns morros do Rio de Janeiro a Umbanda, Candomblé, e outra religiões de matriz africana, sofrem verdadeiras discriminações como: depredações de Templos Religiosos, proibição de guias, uso de roupas brancas, toque de atabaques, exposição de imagens do lado de fora dos terreiros, pelos chefes da facção Terceiro Comando Puro (TCP), a segunda maior do do Rio de Janeiro, aqui em Lages, a situação é bem mais favorável aos adeptos das religiões Afro-Brasileiras.

Pois no dia 27 de abril de 2013, aconteceu em Lages, a 1ª Carreata em homenagem a São Jorge Guerreiro – Ogum, organizada pelo Babalorixá Márcio do Xangô – Dirigente Espiritual do Reino Angolano de Xangô e Iemanjá, Babalorixá Edson T’Osun, Dirigente Espiritual do Ilê Asé Afro Águas T’Osun e o Babalorixá Cláudio de Xangô, Dirigente Espiritual do Troara – Templo Religioso Oyó Africano Reino de Aganju.

A carreata teve participação de aproximadamente 100 carros, tendo como foco principal reunir os devotos de São Jorge, além dos adeptos e simpatizantes das religiões de matriz africana, a fim de mostrar à comunidade que suas religiões merecem ser respeitadas e não toleradas.

A carreata partiu do Ginásio Jones Minosso por voltas das 16h, acompanhando a imagem do “Santo Guerreiro”, em cima do caminhão do Corpo de Bombeiros, e escoltada pela Polícia Militar. Depois da carreata, mais de 100 pessoas reuniram-se no Centro Cívico Cruz de Souza, centro de Lages, onde foi realizada um grande culto em louvor a São Jorge Guerreiro – Ogum. Participaram do evento médiuns de Lages, Florianópolis, Bom Retiro, Criciúma, Imbituba e outras cidades do estado.

E agora em 2020, com sugestão do Babalorixá Márcio do Xangô, o vereador David Moro (Novo), apresentou no dia 1º de junho o Projeto de Lei que institui o dia 15 de novembro como “Dia Municipal da Umbanda” no calendário oficial do município, que foi aprovado por unanimidade pelos vereadores presentes na seção e sancionada no dia 10 de junho do corrente ano pelo prefeito de Lages Antônio Ceron.

Certamente que a aprovação e sanção desta, é uma conquista de grande relevância para os adeptos e simpatizantes das religiões de matriz africana de Lages.

Texto: Márcio Proença

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trânsito modificado na Cruz e Souza devido a obras de pavimentação

Prefeitura regulariza terrenos através do programa “Lages Minha Terra Melhor”