dentro

UNA LGB se manifesta sobre homofobia praticada contra travesti em Lages

Nossa reportagem conversou com Aline Delaor Pedroso, Presidente da União Nacional de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – UNALGBT na cidade de Lages, sobre o caso de homofobia, praticado contra uma travesti aqui na cidade de Lages, na mesma semana.

O primeiro caso ocorreu na noite de quinta-feira(23), onde homofóbicos passaram primeiro pela rua Otacílio Vieira da Costa, defronte ao Kakarecos Móveis Usados e deram um jato de extintor contra a vítima. E o segundo caso, ocorreu no sábado(25), onde homofóbicos praticaram o mesmo ato na Avenida Marechal Floriano, próximo a FACVEST, contra a mesma vítima.

“Assim que tomamos conhecimento dos atos de homofobia, repassamos de imediato as informações para o Modesto, que é o Presidente Estadual da Uma LGBT, e ele nos orientou pra entrar em contato com a vítima, pra ver se ela queria registrar um Boletim de Ocorrência, mas infelizmente não conseguimos localizar a mesma.” Relatou Aline.

Segundo informações repassadas pela presidente municipal da UNA LGBT, a Drª Erli, representante dos Direitos Humanos em Lages, procurou obter informações junto as Delegacias de Lages, se havia registro de BO sobre o caso, recebendo uma resposta negativa, sendo que nenhum BO foi registrado.

A Presidente da UNA LGB, relata que na noite de sábado os mesmo que praticaram o ato de homofobia na rua Otacílio Vieira da Costa, tentaram cometer novamente com outras travestis que fazem ponto na rua Cel Serafim de Moura, esquina com a rua Martinho Nerbas no Centro da cidade, mas tiveram seu veículo apedrejado.

É lamentável que as vítimas fiquem no anonimato, pois enquanto as mesmas não procurarem registrar Boletim de Ocorrência contra os agressores, as agressões homofóbicas tendem a crescer agora também em Lages.  Vale destacar que o Superior Tribunal Federal-STF já tem a maioria para que a discriminação por orientação sexual e identidade de gênero seja considerada um tipo de racismo. Na prática, isso criminaliza a homotransfobia no Brasil.

“Esse fato do STF ter votado a favor para criminalizar a homotransfobia no Brasil, é muito interessante e se torna um ganho para nossa classe. Pois antes se nós fossemos registrar um BO na Delegacia, só servia pra servirmos de chacota aos policiais. Ainda reforço para que os gays, lésbicas, travestis, transexuais de nossa cidade procurem a UNA LGBT para se filiarem. Pois juntas seremos mais fortes e teremos mais representatividade perante a lei. Não cobramos taxa de adesão, nem mensalidades, além de manter seus nomes em sigilo absoluto.” Finalizou a Presidente da UNA LGB em Lages.

Nossa reportagem tentou contato com a vítima, porém a mesma não foi encontrada.

Texto: Márcio Proença

Foto: Márcio Proença

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rede de Postos Copacabana inaugura a terceira unidade em Lages

Programa “Lages Meu Lar Melhor” melhorando a autoestima do povo lageano