dentro

UPA: 30 dias de atendimentos na área pediátrica

Dentro deste prazo foram efetuados 2.194 atendimentos, com uma média de 20 a 30 minutos de duração no período diurno e de 30 a 45 minutos no período noturno

Foto: Márcio Proença

Ao completar seu primeiro mês de funcionamento, a ala pediátrica da Unidade de Pronto Atendimento 24 Horas – UPA Dra. Maria Gorete dos Santos, que iniciou os atendimentos no dia 14 de janeiro, obteve um balanço positivo quanto à agilidade e qualidade dos serviços prestados.

No prazo acima mencionado, foram realizados 2.194 atendimentos, cerca de 120 crianças ou adolescentes ao dia, com uma média de 20 a 30 minutos de duração no período diurno, e de 30 a 45 minutos no período noturno. Foram realizados também 641 procedimentos entre exames, medicações e internamentos e 27 exames de Raio-X. “Nós, enquanto equipe, sempre tivemos certeza de que daríamos conta de atender à demanda com o menor tempo possível, realizando um bom atendimento à população, tanto que vemos a repercussão do nosso trabalho nas redes sociais, com muitas pessoas que precisaram ser atendidas elogiando, e assim pretendemos prosseguir”, relata o gerente da UPA, Gilmar Ribeiro.

Valdirene Machado era uma das mães que tinha receio desta mudança, mas mudou de opinião após passar pelo atendimento. Na sala de medicação ela acompanhava a filha Brenda, de apenas cinco anos, que apresentou vômito e febre devido a uma displasia renal. “Esta é a segunda vez que trago ela, e fomos muito bem atendidas. Em menos de cinco minutos minha filha estava sendo encaminhada para atendimento”, relata.

Equipe preparada para maior demanda

Segundo a enfermeira Suany Lemos Antunes, nas primeiras semanas de volta às aulas o fluxo aumentou levemente, e a expectativa é de que aumente ainda mais, principalmente quando o frio chegar. “Para isso, a equipe está preparada para o atendimento continuar com qualidade. Trabalhamos em quatro enfermeiras por turno”, afirma.

Para atender à demanda foi realizado um processo seletivo para contratação de profissionais capacitados para esta área e também para os demais atendimentos da unidade. Foram contratados 41 técnicos e 15 enfermeiros. Os médicos que atuavam no Hospital Infantil passaram a atender na UPA, considerando que já eram pagos pela prefeitura. Os médicos se distribuem da seguinte forma: dois de manhã, três à tarde e outros três à noite, em escala de revezamento. “Tínhamos 21 médicos no Hospital Infantil e só não vieram dois”, afirma Gilmar.

De todos os pacientes que chegaram até a ala pediátrica da UPA, apenas trinta precisaram ser encaminhados ao Hospital Infantil Seara do Bem, por se tratar de casos mais graves. “Nenhum caso que chega até nós deixa de ser atendido. Mesmo que necessite encaminhamento para o hospital, fazemos os primeiros procedimentos, estabilizamos o paciente para depois levá-lo de ambulância até o local”, garante o gerente.

Já no sentido inverso, ou seja, pais ou responsáveis que levaram seus filhos até o Hospital, sendo casos que poderiam ser atendidos na UPA, foram 128. Eles são levados até a unidade após a triagem, onde é averiguado se o caso é de emergência ou menos grave. Um carro da Secretaria da Saúde está disponível para fazer esse translado.

Fonte: Aline Tives/Comunicação/PML

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Moradores de Condomínios verticais (Prédios) devem cuidar com o valor da fatura de água

Bisneta de Anita Garibaldi estará em Lages Amanhã